• Por uma cultura de paz e uma mídia cidadã.

Insider

Archives

Outubro Rosa conta com apoio da Rede de Participação Política

O Conselho da Mulher Empresária (CME) de Londrina, com apoio da Rede de Participação Política (RPP), iniciativa apartidária da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), realizou no último sábado (08), no auditório do colégio SESI, o 1° Encontro de Mulheres Nota 10.

O evento, que faz parte do calendário do Outubro Rosa, teve como objetivo conscientizar e prevenir as mulheres sobre as conseqüências de um câncer detectado tardiamente. Além de obter informações sobre incontinência urinária, com a docente da UNOPAR Adriana Fontana, os participantes puderam conferir duas palestras com os temas “Câncer de Mama” e “Colo de Útero”, ministradas pela Dra. Beatriz Daou Verenhitachi e Dra. Ana Cristina da Silva.

O Outubro Rosa é um movimento popular internacionalmente conhecido e comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades.

Em Londrina, o movimento é articulado pela entidade filantrópica Nós do Poder Rosa e tem como foco a proteção da mulher em relação à violência, saúde e proteção da família. “Precisamos fazer a mulher despertar mais para esse tipo de informação. Por meio dessas duas palestras de hoje vimos que temos que aprender a conhecer melhor nosso corpo, observar todas as alterações como forma de prevenção e fazermos nossos exames periodicamente”, revela a presidente da Nós do Poder Rosa, Vânia Regina Queiroz, que também apoiou o evento.

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de colo de útero é o segundo mais frequente na população feminina, perdendo apenas para o câncer de mama, sendo a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. Por ano, faz 4.800 vítimas fatais e apresenta 18.430 novos casos. Já o câncer de mama, é o mais comum entre as mulheres, mas se diagnosticado e tratado oportunamente, o prognóstico, conforme destacam especialistas, é relativamente bom. No entanto, as taxas de mortalidade por câncer de mama no Brasil continuam elevadas, muito provavelmente, na opinião de médicos, porque a doença ainda é diagnosticada em estágios avançados, demonstrando a necessidade de se continuar debatendo sobre o tema.

Para a participante Lindelma de Melo Chonpato, vítima de câncer de mama há cinco anos, o melhor caminho para combater a doença é por meio da conscientização. “Vamos somar esforços de todas as entidades para que as mulheres vivam com dignidade. As mulheres de Londrina tem se movimentado e se destacando no Brasil”, revela.

A Dra Ana Cristina do Amaral Herrera, explica que a melhor maneira de prevenir o câncer de colo de útero é por meio do exame papa nicolau, que proporciona a descoberta de lesões pré-malígnas e, na maioria das vezes, não apresentam nenhum sintoma. A mamografia, por sua vez, é a maneira mais eficaz de detectar tumores de câncer de mama em início de formação. Se detectado precocemente a chance de cura é grande, mas os médicos alertam quanto à forma de tratamento. “O mais importante é deixar claro que o tratamento é individual. É como uma visita à costureira, o exame vai ser feito e a maneira de tratamento é sob medida, de acordo com cada paciente”, explica a Dra. Beatriz Daou Verenhitachi.

Durante o encontro houve momentos de descontração com ginástica, dança e sorteio de brindes, além de depoimentos de mulheres que já sofreram de câncer. “A Rede de Participação Política apoia esse tipo de iniciativa porque é de extrema importância levar esse conhecimento para as localidades, por isso foi escolhida a Vila Portuguesa. Também oportunizamos a vinda de moradores de outras localidades através de ônibus gratuitos para que todos tivessem acesso”, disse Gislane Syllos, articuladora da RPP em Londrina.

Por Yara Talita Braga

Popularity: 4% [?]

Share and Enjoy:
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google

Deixar um comentário